quinta-feira, 24 de agosto de 2017

5 anos de funcionalismo público


  • Ingressei  no serviço público em 2012, através de concurso que realizei. Resolvi estudar pois estava trabalhando como terceirizado na universidade federal na qual eu estudava na época. Trabalhava para uma obscura empresa de que eu nunca ouvi falar e que o nome é  uma sigla, e a sede talvez nem exista de verdade.        

  • Eu era estagiário, e de uma hora pra outra resolveram acabar com o bando de retardados que só faltavam o trabalho e não faziam nada direito.      
  • A terceirização foi a solução para "profissionalizar" os serviços. Fui um dos que teve a carteira assinada e ganhei mais responsabilidades porém com um salário maior.
  •  Interessante que trabalhei para uma empresa durante 3 anos e nunca conheci absolutamente ninguém deles, incrível mesmo a sede sendo em outra cidade.

  • A fama dessa empresa de não pagar os funcionários era forte, entao cada fim de mês era todo mundo em pânico sem saber se iria receber .


  • Resolvi que não era digno passar por isso todo mês  e resolvi prestar concursos públicos para tentar melhorar de vida.


  • Realizei alguns sem muito sucesso, porém continuei sempre estudando e fazendo simulados mesmo sem ter editais abertos. Eis que um ano após começar  os estudos os frutos começaram aparecer.


  • Fui chamado em 3 concursos: um a nível federal, mas era temporário. Outro a nível estadual mas era CLT. E mais outro estadual com regine jurídico próprio.



  • Escolhi o terceiro devido estabilidade. Só vou ser despedido se matar todos os colegas e não esconder os corpos direito.


  • Quando me chamaram me senti o cara, poderoso, invejado por todos a minha volta, realizei o sonho que muitos almejam. Mas é  só  a euforia inicial, depois você volta ao normal, eu garanto.

Eu na minha estação de trabalho

  • Lembro do primeiro dia de trabalho...

  • Chego pontualmente às  8h. "Que estranho, ninguém chegou ainda. Será que aconteceu alguma coisa..."
  • Aos poucos as pessoas calmamente vão  chegando. Sou apresentado ao chefe principal (chefe é  o que não falta), e encaminhado  a minha nova sala. Sem muitas explicações sobre o trabalho que realizaria  as demandas vao chegando e eu ali sem saber nem por onde começar.



  • Até hoje a grande maioria das coisas aprendi sozinho, seja por ir atrás  e me esforçar ou por intuição mesmo. Eu tentava resolver tudo, não deixava nada para fazer depois, atendia o público impecavelmente. As pessoas achavam estranho, podia sentir isso nas suas expressões.


  • Eu era um funcionário da iniciativa privada atuando no setor público. Lembro uma vez em que eu estava atendendo um cidadão e chegou outro, minha colega foi atendê-lo e ele educadamente disse que iria esperar porque queria ser atendido por mim.


  • Acham que ela ficou brava? Que nada, só faltou dar pulos de alegria e se dirigiu para o centésimo cafezinho da manhã.  Eu ficava intrigado pensando se eu era visto pelos meus colegas como um excelente profissional ou um otário completo.


  • Percebi que ao longo desses 5 anos mudei bastante. Não  sei se por causa do meu horrível mal humor matinal, ódio  mortal de alguns colegas, sucateamento do órgão que trabalho, estado falido, parcelamento de salários, cobranças exageradas, colegas inúteis. Isso tudo gerando uma desmotivação monstruosa.


  • Alguns podem dizer que ganho bem pro pouco que faço, tenho todos os benefícios  e tals, mas se tivesse um salário  10x maior estaria sentindo a mesma coisa, a única  diferença seria que poderia comprar mais bens materiais.


  • Mas acredito que o principal motivo para ter a sensação que esses anis não passaram realmete é  a ROTINA.


  • Ela desmotiva, enfraquece, suga sua alma, fazer todo dia a mesma coisa cansa, ainda mais quando você nao faz nada de muito relevante pra sociedade.

Recomendo muito esse filme

  • As vezes sinto que parei no tempo igual o filme Feitiço do Tempo, onde todos os dias eram exatamente iguais.



  • É amigos... Será que estou me tornando o famigerado funça odiado por todos? Será inevitável?


Só  o tempo dirá.


Obs: fiz esse post do celular, desculpem a diagramação.




27 comentários:

  1. Fala rabugento, que história legal mano, você ainda mantém essa essência do inicio no atendimento ao público. sempre acho uma merda aqueles funças que parecem que estão te fazendo um favor ao atendê-lo. depois posta algumas dicas de como se preparar para concurso e tal. estou cogitando essa possibilidade para dá um up nos meus aportes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E verdade amigo, tento atender da melhor maneira possível. Mais adiante vou fazer um post com dicas para concursos.
      Abraço

      Excluir
  2. Interessante estar contando aqui sua historia, e sempre bom aprender com os outros

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. O meio influi muito no homem. É importante que você nunca perca de vista seus objetivos.

    Legal mais um falando a verdade sobre o serviço público. Aqui ninguém é imbecil como o "sr ministro" acredita.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito tb que o meio nos influencie, vamos lutando contra os padrões estabelcidos.
      Abraço

      Excluir

  5. Gari Advogado24 de agosto de 2017 17:13
    É Rabugento...pensa eu que fui gari (prefeitura) e agora alguns anos Estadual... Com o tempo voce vai se desanimando. Minha maior motivação tem sido mais o contracheque. Além da repartição pública ainda advogo. Em breve contarei as desvantagens na advocacia.

    Tenho estudado por concursos federais. Busco aportar uns 50% no minimo do salario para me livrar logo da dependencia que ficamos disso. Faço minha função e ainda busco sempre no dia um tempo para estudar. Com essa crise toda fico pensando se vale a pena ainda focar em concursos ou juntar uma boa grana e tentar empreender por fora. Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é gari, cada real economizado é a liberdade mais próxima. Concursos federais são os melhores porém os mais concorridos, mas vc pelo jeito ja tem uma boa base de estudos e experiência em provas, e isso é muito importante.
      Quanto a empreender, no brasil isso é muito arriscado devido nossos governantes. Se puder fazer isso fora que maravilha.
      Abraço

      Excluir
  6. Fala RP,

    Pelo que percebi voce é um cara super inteligente e dedicado, pois no passado conseguiu passar em vários concursos. Já pensou em aproveitar algumas lacunas e voltar a estudar para algum concurso que te pague bem mais? Continuaria com segurança mas ganhando mais e seria uma nova aventura.

    O que acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai BnA, pois é cara, ano passado fiz alguns em que fiquei bem colocado. Um que fiz tinha 7000 candidatos para 25 vagas.
      Fiquei em 138°. Como o prazo do concurso e longo ainda tenho esperança. Nao podemos parar no tempo, vamos tentando.
      Abraço

      Excluir
  7. Olá RP,

    Eu também sou concursado e isso é normal nos órgãos. Sou servidor federal e a enrolação com reuniões inúteis é demais.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ai COWBOY, aqui chegam marcar uma reunião para decidir quando vai ser a próxima reunião heheh.
      Nada é deliberado, e ficamos mais confusos que quando entramos na sala. É só enrolação mesmo.
      Abraço

      Excluir
  8. E ai Rabugento!

    Olha, acho que isso é normal em qualquer trabalho. Depois de anos fazendo a mesma coisa, é natural que venha o cansaço e desmotivação, pois precisamos sempre de novos desafios.

    Alguns cargos públicos tem a desvantagem de ter o limite de atuação muito restrito, então a pessoa acaba ficando presa às mesmas atribuições. Mas tem cargos que permitem uma atuação mais ampla, onde sempre há oportunidades de buscar novos desafios, trabalhos mais estimulantes, etc.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola SM, este ano esta fraco de editais, e tb me nego fazer concursos municipais devido as grandes fraudes que acontecem nas cidadezinhas. Mas vamos tentando melhorar.
      Abraço

      Excluir
  9. Te aconselho a buscar alguma atividade profissional fora do funcionalismo público para sair da rotina. Não é para largar o seu emprego, mas para agregar. Mesmo que seja trabalho voluntário. Abraços e boa sorte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Legal SB, faço isso as vezes. Ate uber ja fiz uma época. Só nao podemos descontar as angustias gastando grana em coisas inúteis. Obrigado pelo conselho.
      Abraço

      Excluir
  10. Rotina faz parte da vida de todos nós, mas imagino que o serviço público deva ser especialmente desestimulante. O negócio é que o salário estável age nos dois lados: você pode vagabundear à vontade e o contrachque virá no final do mês, ou você pode se estropiar trabalhando, e mesmo assim não vai ganhar adicional por produtividade. O foco da maioria acaba sendo na constante expectativa por benefícios, o que sempre leva à frustração. E a "antiguidade" passa a ser um conceito superestimado para se medir o valor do servidor.

    Concordo com o Bufunfa, procure algo que vá lhe agregar fora do funcionalismo, pois deve ser difícil se sentir desafiado numa repartição pública.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  11. E ai DM, é verdade, o estímulo e pouco e a possibilidade de crescimento é nula. O salário não é seu chefe q paga então e só não deixar o dele na reta que ta blz. O problema é que o mundo lá "fora" ta terrível. Por hora continuo como estou.
    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Realidade na veia. Gostei do post.
    Continue com essa motivação em atender bem, pois mesmo na rotina, deixar as pessoas satisfeitas com o atendimento gera uma forte sensação de realização, e você pode colher frutos disso com o tempo, garanto.
    Também sou servidor público, exerço um cargo Federal. Realmente as pessoas veem os cargos federais como ótimas opções, mas com esse governo a frente, temos tido péssimas notícias ultimamente. Ainda continua uma boa opção, até quando não sei.

    Vou te adicionar no meu blogroll

    Dá uma passada lá no meu blog
    https://diariodefinancasonline.blogspot.com.br

    Abraço e fica com Deus
    o/

    Diário

    ResponderExcluir
  13. Fala Rabugento, isso da rotina eu já comentei com colegas, e já vi estudos que no funcionalismo público é cheio de gente com depressão e afastados por problemas psicologicos e psiquiatricos, grande parte pela rotina, e por não ter possibilidade de crescimento.

    ResponderExcluir
  14. Muito legal o post. Sou servidor do judiciário estadual e tb estou cansado da rotina absurda que tenho. É uma rotina muito grande, burocrática e chata! Meus colegas trabalham bastante, mas os chefes (escrivão e a juíza) muito pouco; eles delegam tudo pra gente e pros estagiários. Além disso, Se eu for um funcionário top ou medíocre não muda nada, pois o sistema atualmente é lento e imutável, portanto, não faço e nem posso fazer diferença alguma. Tenho muito medo de me matar de estudar pra outro concurso e encontrar uma realidade parecida, o que me deixaria infeliz no trabalho como estou agora. Bem da verdade, ainda não sei ao certo o que fazer, tenho pensado muito em abrir o meu negócio. Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Legal seu depoimento. Na minha repartição sou um dos fiscais mais atuantes. Tento fazer o melhor para aquilo que fui aprovado, fazer as pessoas cumprirem a legislação do qual sou pago para que seja cumprido.

    ResponderExcluir
  16. Betas, temporariamente estaremos direcionando nosso reduto para o seguinte endereço:

    https://opobre-diabo.blogspot.com.br/


    Espero vocês lá!

    Abraços diabísticos!!!

    ResponderExcluir
  17. A rotina do funcionalismo é muito foda, sem aquela perspectiva de crescimento, de alcançar algo maior, por isso, que existe muitoooooos depressivos nos quadros do funcionalismo.

    Abraço, Rabugento

    ResponderExcluir